Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral

MODA E TENDÊNCIAS

É o corte mais chic e chama-se Bowl

Absolutamente parisiense e chic, o Bowl, o famoso corte 'à tigela' vem dos anos 70 e entre os 80 e 90 até ao século XXI, a ponto de começar a usa década 20 e converter-se no corte estrela


27/08/2019

Esquecido no caixão, entre outras recordações e fotos a branco e preto, o boule francês ou corte à tigela, conhecido assim em Portugal, que marcou a época e coroou as cabeças das mais famosas e idolatradas nos anos 70, volta a erguer-se num dos cortes estrela da temporada, sobretudo se nos referimos à sua versão bowl.

Mas, como para gostos as cores e as variações dos mesmos, adiantamo-nos na história, porque o corte bowl possui genealogia própria e ainda, de raiz e ramas diversas.

Bowl

A árvore genealógica do Bowl

Conhecemos o carré degradé, liso, ondulado, encaracolado, selvagem ou com franja, ainda o mais francês de todos é o boule, ou na sua versão inglesa bowl cut, um bob à altura da clavícula que se impõe em camadas longas e muitas ondas wavy tipo anos 80.

O carré boule ou o bowl cut, ou Bowl, é um corte em forma de bola tipicamente francês, popularizado em França por estrelas do cinema como a atriz Mireille Darc ou a cineasta recentemente falecida Agnès Varda, e da música como France Gall ou Mireille Mathieu, que o converteu no seu principal emblema e senha de identidade. Em Itália, Raffaella Carrà marcou uma época com os seus golpes de cabelo boule e nos Estados Unidos atreveram-se com ele como Rihanna ou Tyra Banks, Katie Holmes e Kelly Osbourne.

Icónicos são já os bowls de Lady Gaga no videoclip Alejandro ou de Demi Moore no filme Ghost, muito imitado nos primeiros anos 90, onde desde os 70, o bowl conseguiu manter-se com diferentes variações: “este corte funciona tanto penteado como despenteado e em versão com camadas, é muito versátil e é genial em rostos quadrados, ovalados e retangulares, nunca em redondos”, aponta David Lesur, dos salões David Künzle em Madrid.

Em Portugal sempre chamámos de "corte à tigela", mais associado a crianças do que a mulheres adultas, quase sempre morenas que são as mais favorecidas: “É um penteado com uma enorma personalidade, toda uma declaração de intenções, fiel reflexo de uma mulher segura, moderna e aberta que também mostra na sua forma de vestir. Para o conservar basta usar a escova e o secador se queremos fugir desse estereotipo tão geométrico e pouco natural”, continua a detalhar Lesur. "Aconselho, se tem uma franja longa, ondulá-la para dentro à altura dos olhos".

Assim já sabes, toma nota porque o corte à tigela regressa e com força e converte as mulheres ainda mais icónicas. Este verão o bowl vai conquistar ruas, passeios e praias. Vais ver!

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Compartir en WhatsApp
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral

 

SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.