Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

Ganho de massa e queimo de gordura
Ganho de massa e queimo de gordura

ATUALIDADE

Não mais cabelo 'normal', palavra que desaparece dos frascos cosméticos

Unilever anuncia que eliminará a palavra “normal” de todas as embalagens e a publicidade das suas marcas de beleza e cuidado pessoal


06/05/2021

A conhecida multinancional Unilever anunciou a próxima eliminação da palavra 'normal', dos seus frascos e publicidade em relação a marcas tanto capilares como de beleza, como o caso de Dove, Lifebuoy, Axe ou Sunsik. Um passo importante "até uma visão da beleza mais equitativa e inclusiva, além de sustentável para o planeta", explicava a empresa na nota oficial.

O cabeleireiro também abraça a diversidade da beleza

Um movimento, o da inclusividade em matéria de beleza, pele e cabelo, que de um tempo para cá parece estar na boca de todos. E que abarca não só a inclusão em relação a termos como aponta até uma beleza real, e dá entrada ao curby, curly e 'afro'...

Um estudo de 10.000 pessoas, realizado em nove países, Brasil, China, India, Indonésia, Nigéria, Arábia Saudita, Africa do Sul, Reino Unido e os Estados Unidos, encontrou que sete em cada dez pessoas estão de acordo em que usar a palavra “normal” na embalagem cosmética e a publicidade do produto possui um impacto negativo. Para as pessoas mais jovens, as que têm entre 18 e 35 anos, isto aumenta oito em cada dez.

De uma forma mais geral, a investigação, encarregada pela própria Unilever, mostra o quanto parece a indústria da beleza estancada numa visão estreita da mesma, se atendemos aos novos costumes dos consumidores. Assim:

» Mais de metade das pessoas (56%) pensa que a indústria da beleza e o cuidado pessoal pode fazer com que as pessoas se sintam excluídas.
» Mais de sete em cada dez dizem que a indústria da beleza e o cuidado pessoal necessitam ampliar a sua definição de beleza.
» A gente quer que a indústria da beleza e cuidado pessoal se centre mais em fazer que as pessoas se sintam melhor que em ver-se melhor (74%).
» Mais de metade das pessoas (52%) dizem que agora prestam mais atenção à postura de uma empresa sobre os problemas sociais antes de comprar produtos.

Um estudo de 10.000 pessoas, realizado em nove países, encontrou que sete em cada dez pessoas estão de acordo em usar a palavra 'normal' no frasco cosmético e a publicidade do produto possui um impacto negativo.

"Sabemos que eliminar o 'normal' dos nossos produtos e frascos não vai solucionar o problema por si mesmo, mas é um grande passo adiante", explicou Sunny Jain, presidente de Beleza e Cuidado Pessoal de Unilever.

Além de eliminar a palavra 'normal', Unilever não vai alterar digitalmente a forma do corpo, o tamanho, a proporção ou o calor da pele de uma pessoa na publicidade da sua marca, e vai aumentar a quantidade de anúncios que retratam pessoas de diversos grupos que estão infrarrepresentados.

O ano passado, devido às críticas relacionadas com a promoção da tez clara como uma referência de beleza, Unilever, por exemplo, decidiu mudar o nome da sua marca Fair & Lovely a Glow & Lovely, atendendo a um critério de inclusividade.

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Enviar a un amigo
  • Compartir en WhatsApp
Recebe-a totalmente grátis todas as semanas no teu correio eletrónico!

 

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Ganho de massa e queimo de gordura
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.