Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

GH - Gallery Hair - A revista profissional  de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro
MOSER - CHROM2STYLE BLENDING EDITION

USO DE REDES SOCIAIS

Referencers, cabeleireiros e centros de beleza que triunfam nas redes

Analisamos o fenómeno referencer, que não é influencer. Então, existe uma diferença? E qual é? Contamos-te detalhadamente


12/03/2021

Acumulam milhares de seguidores, as suas publicações em Instagram enchem-se de likes e comentários e não há cabeceira de moda que não os mencione. As contas de alguns salões de cabeleireiro e estética converteram-se em autênticos referentes que recolhem as tendências para as converter em realidade. Analisamos que há por detrás do seu êxito.

Referencers vs. Influencers

O boom das redes sociais abriu uma janela através pelo que mostrar ao mundo os trabalhos que se realizam no dia a dia, com resultados reais, em relação ao cabeleireiro e a beleza, do antes e o depois. Com esforço, paciência e mimo os salões que foram compartilhando o seu saber fazer com os seus followers conseguiram identificar-se com um novo termo, são os references.

Que lhes diferencia dos influencers? Que deixam por um lado a sua vida privada para se centrar em colocar o foco unicamente na sua profissão e, desde os seus perfis de especialistas, dar a conhecer que há por detrás do seu trabalho e converter os seus resultados numa necessidade para a sua comunidade de seguidores.

Em OMAT, a única entidade de certificação especializada em cabeleireiro e estética, afirmam que as chaves do seu êxito se baseiam em três aspetos fundamentais: formação, trato excelente e inovação.

O boom das redes sociais abriu uma janela através pelo que mostrar ao mundo os trabalhos que se realizam no dia a dia, com resultados reais, em relação ao cabeleireiro e a beleza, do antes e o depois.

"Assim - diz OMAT -, estas questões devem ser que conjugadas com outros aspetos mais emocionais, como a paixão pelo trabalho que se realiza ou o compromisso com o seu próprio projeto profissional, mas sem esses três componentes falta a base que sustenta tudo o resto".

Porquê? Vamos passo-a-passo.

Formação: "ter uma sólida formação é sinónimo de conhecimentos. Quando um sabe o que consegue resultados que pode compartilhar, mas também tem a capacidade de responder às perguntas que podem plantear sobre o seu trabalho. Um profissional que conhece porque faz as coisas de uma determinada forma e resolve as dúvidas da sua comunidade de seguidores afiança a sua imagem perante eles", explicam-nos desde a OMAT.

Trato excelente: "as redes são um espaço de interlocução direta entre o profissional e os seus potenciais clientes. Estão aqui porque gostam do teu trabalho, mas a comunicação com eles e a atenção deve ser especial por vários motivos. Primeiro, porque são possíveis compradores dos teus serviços e, segundo, porque as respostas que estás a dar são públicas e, se não respondes de uma forma amável, empática e resolutiva, pode-se gerar uma chuva de críticas negativas que se converteria num problema de reputação para o teu negócio. Ao mesmo que ocorre no espaço presencial do salão, há que saber gerir a atenção ao cliente e, no caso das redes, sendo conscientes de que estamos a falar através de um altavoz com o qual se deve ser especialmente cuidadoso".

Tão relevante é o trato ao cliente que OMAT, como entidade oficialmente acreditada para certificar no âmbito do cabeleireiro e a estética, desenvolveu um certificado específico que avalia e distingue aqueles profissionais que são especialistas em atenção de qualidade ao cliente.

Inovação: "todos nos habituámos à imediatez, a renovação, a receber estímulos diferentes constantemente. Por isso, o consumidor procura novidades, criatividade, que não lhe mostrem nem falem sempre do mesmo. Isto obriga ao profissional a estar em constante melhora e evolução e, com isso, voltamos à formação. Imprescindível não deixar nunca de aprender e, quando se faz, procurar fontes fiáveis, como as editoriais especializadas ou centros de formação de qualidade. Na internet há muita informação, mas se não se sabe filtrar, pode converter-se em desinformação", concluem desde OMAT.

A grande vantagem das redes é que estão ao alcance de todos, mas, ainda não o pareça, supõem e tem muito esforço por detrás. Converter-se em referencer implica dominar todos os aspetos anteriores e fazê-lo com destreza. Além disso, é importante conhecer como funciona cada plataforma e que as imagens e textos publicados sejam atrativos e cuidem a linguagem. OMAT reflete e adverte: "para bem ou para mal, as redes dizem muito e podem elevar-te ao altar dos salões mais desejados ou, se não geres corretamente, levar-te a uma importante crise para a imagem do teu negócio".

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Enviar a un amigo
  • Compartir en WhatsApp
Recebe-a totalmente grátis todas as semanas no teu correio eletrónico!

 

GH - Gallery Hair - A revista profissional  de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
GH - Gallery Hair - A revista profissional  de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro
Ganho de massa e queimo de gordura