Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

GH - GALLERY HAIR: A revista profissional de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro
BM Estética > Estética > Pele pulverizada

CIÊNCIA

A primeira pele pulverizada do mundo chega à beleza

Funciona como uma 'estufa' para que a pele real possa absorver a humidade e ser capaz de respirar, chega do Japão, e poderia ser utilizada no campo médico como segunda pele no tratamento de cicatrizes


12/01/2020

Uma companhia japonesa de cosméticos acaba de apresentar a primeira pele pulverizada do mundo, uma máscara hidratante feita de fibras 100 vezes mais pequenas que a grossura de um cabelo humano.

Esta “segunda pele” alcança-se depois de aplicar uma loção absorvente. É então quando se pulverizam as fibras sobre a cara e se forma rapidamente uma lâmina fina translúcida, atuando como uma “estufa” para que a pele real possa absorver a humidade e seja capaz de respirar. A segunda “pele” pode ser usada durante a noite ou ser tirada após um minuto.

Pele pulverizada

“Este é o primeiro produto cosmético do mundo que utiliza esta tecnologia”, declarou a Phys.org Masayuki Uchiyama, investigador de cuidado da pele de Kao, a empresa que desenvolveu este cosmético.

Ainda que o fim original não era utilizar a tecnologia de fibras ultrafinas para criar uma camada na pele, porém, “aprendemos que a pele ainda pode respirar sob as fibras delgadas durante muitas horas, num ambiente semelhante a uma estufa”, afirma Uchiyama, ainda que o material preciso destas fibras é ainda um segredo guardado sob chave pelos investigadores.

Segundo Uchyama, esta 'segunda pele', no futuro, poderia ser utilizada para cobrir cicatrizes ou para criar um remendo médico invisível.

Cada difusor deste produto cosmético custa agora à volta de 415 euros, nada barato precisamente, mas que não preocupa Kao que sustém que se a tecnologia se aplica ao campo médico, os benefícios seriam de centenas de milhões.

Segundo Uchiyama, esta “segunda pele”, no futuro, poderia ser utilizada para cobrir cicatrizes ou para criar um remendo médico invisível. Apesar de que existem já alguns produtos para estas utilizações. Kao sustenta que a sua aposta é diferente e a sua grande vantagem são as fibras: “São mais flexíveis e difíceis de romper, até se te moves”.

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Compartir en WhatsApp
GH - GALLERY HAIR: A revista profissional de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro

 

GH - GALLERY HAIR: A revista profissional de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro
GH - GALLERY HAIR: A revista profissional de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro