Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

GH Gallery Hair nº 6 - Descarrega aqui o nº 6.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.

NOVOS TRATAMENTOS

O microneeling conquista os institutos franceses

Cada vez mais popular, altamente procurado pela estética profissional, o microneeling faz-se agora com os gostos dos institutos parisienses. Revemos em que consiste esta técnica, resultados, conselhos e combinações. Muito interessante


24/06/2021

Já se chama 'microneeling', 'microperfuração', 'microaguilhetagem' ou 'micropuntura', o seu princípio é sempre o mesmo: o método consiste em perfurar a camada superior da epiderme (criação de microcanais), rápida e regularmente, para estimular a microcirculação e facilitar a penetração dos ingredientes ativos. Os asiáticos estão loucos pelo microneeling e os anglo-saxónicos seguiram o seu exemplo. Agora, os míticos institutos de beleza parisienses e do resto de França, parece que também. Espanha não se fica atrás, existindo cada vez mais esteticistas que o exercem.

As mulheres francesas, que geralmente preferem tratamentos mais suaves, meteram-se em cheio no mundo do microneeling. O que demonstra que se trata de um método eficaz e seguro. Em concreto, a esteticista primeiro prepara a pele com uma cuidadosa eliminação de maquilhagem e impurezas, logo realiza um exfoliante em duas fases e finalmente prática o microneeling.

Este geralmente, e em cabine, costuma fazer com diferentes aparelhos. É muito frequente o rolo de mão, um instrumento que se assemelha a uma máquina de pentear mas em que as lâminas teriam sido substituídas por uma rodinha de 162 agulhas microscópicas, com um comprimento de uns 0,2 mm. Mas quem realmente estão a dar que falar, e muito é o 'Derma Pen'. Este dispositivo de microneeling, uma espécie de lápis automático de alta velocidade permite a abertura de uns 80% mais de microcanais na pele.

Fica a eleição das agulhas. Tudo depende da pele do cliente e, assim, dos seus hábitos em relação a cosmética instrumental. Para um resultado rápido e intenso, pode-se utilizar pontas de metal. Por outro lado, se se trata de uma primeira experiência, é melhor conformar-se com as de plástico, menos agressivas.

Pontas metálicas em microneeling

Os microagulhas metálicas perfuraram a camada superior da epiderme de forma rápida e constante. Graças a estas, cria-se um grande número de microcanais, que te vão permitir levar produtos específicos onde mais se necessite. Um conselho: um lápis em que as agulhas são ajustáveis oferece um foco mais personalizado que uma roda.

Em relação à eleição do comprimento do microcanal, depende da parte do rosto tratada. Na frente, vamos trabalhar menos profundamente que nas têmporas, por exemplo. Assim, a microperfuração das camadas superiores da epiderme vai ativar várias funções do órgão citado. Ao estimular a circulação sanguínea, esta técnica estimula a regeneração natural da pele, que primeiro regista a agressão e logo reage com mecanismos próprios de defesa, como ocorre naturalmente com a cura depois de uma ferida ou lesão.

Praticado em medicina estética, o 'microneeling' também se oferece no centro de beleza combinando-o com a propulsão de oxigénio.

Segundo alguns fabricantes de lápis e rodilhas para microneeling, esta técnica gera mais fibras de colagénio tipo III. Também vai gerar a produção de fibras de elastina, que proporcionam elasticidade e flexibilidade à epiderme. O objetivo é suavizar gradualmente as cicatrizes e rugas, trabalhando de dentro para fora.

Pontas sintéticas

Utilizando pontas feitas de material sintético, a esteticista pode eleger um lápis, 'Derma Pen' elétrico para realizar uma massagem intensa e estimulante. Uma vez mais, vai causar uma ativação da circulação sanguínea e um renascimento natural, a modo de resposta fisiológica, do processo de fabricação de colagénio e elastina.

Os picos microscópicos vão libertar grupos de células mortas na superfície superior da epiderme e vão reduzir o tamanho dos poros. Contrariamente ao que se observa com outros métodos antienvelhecimento, a pele não perde grossura. O uso destas pontas ou agulhas micro também não a debilita, porque os microcanais causados pelas agulhas fecham-se depois de uns minutos.

Ingredientes ativos

Estes dois métodos, agulhas metálicas ou sintéticas, não só revivem a atividade celular como também permitem, a diferença de outras técnicas, injetar a maior profundidade na pele. Utiliza-se principalmente ácido hialurónico, cujos princípios ativos difundem-se rapidamente, incluídos o trimolecular, que tem a vantagem de desprender uma tripla ação, preenchendo rugas e linhas finas desde o interior.

Para um resultado rápido e intenso, podem-se utilizar pontas de metal. Por outro lado, se se trata de uma primeira experiência, é melhor conformar-se com as de plástico, menos agressivos.

Também se podem agregar péptidos ou antioxidantes. O tratamento terá efeitos visíveis sobre a estrutura da pele e a qualidade dos tecidos. A isto vai somar-se uma hidratação profunda, que vai fortalecer o impacto dos princípios ativos complementares, aplicados pela esteticista.

A que cliente oferecer este tratamento?

O microneeling é um tratamrnto antienvelhecimento completo, que estimula intensamente a renovação da pele. É por isso que se justifica no caso da pele sensibilizada, por motivos de envelhecimento ou por exposição demasiado frequente aos raios UV. As rugas, a flacidez da pele e a falta de elasticidade podem-se tratar. À vista dos resultados, realmente podemos falar de 'recontouring'. Até a pele irregular, com poros grandes ou cicatrizes de acne, será tratada eficazmente com este processo.

Depois do tratamento

Como a técnica do microneeling estimula a pele intensivamente, também se sensibiliza, de um modo semelhante a como ocorre com uma queimadura solar. O cliente sente, assim, uma ligeira queimadura e o seu rosto pode-se mostrar avermelhado. Esta é uma reação não alarmante: demonstra que a ação foi eficaz. A aplicação de produtos calmantes e altamente hidratantes, faz que o dito efeito tenha desaparecido quase por completo ao abandonar o cliente o centro.

De seguida, de dois a três dias serão os necessários para que a pele se regenere. Durante este período de tempo, o cliente deve evitar as seguintes atividades: exposição ao sol ou cabines UV, a sauna e sala de vapor (não suar demasiado), a piscina, exfoliantes abrasivos, mecânicos ou manuais, depilação em zonas tratadas e autobronzeadores.

Como a pele continuará a ser sensível à luz, é melhor usar protetor solar debaixo da maquilhagem.

O melhor dos efeitos vai requerer de seis sessões, espaçadas cada vez por 14 dias.

Microneeling e oxigénio

Praticado em medicina estética, o microneeling também oferece-se no centro de beleza combinando-o com a propulsão de oxigénio. Depois de uma limpeza e um pequeno modelado mecânico-drenagem da pele, a esteticista aplica um produto hidratante ou antienvelhecimento.

O uso de oxigénio pressurizado, de seguida, e depois de ter realizado o microneeling, vai ativar a penetração dos ingredientes ativos, através dos microcanais criados.

O microneeling demonstra assim não só a sua eficácia e o seu êxito, como que se constata como fonte de inspiração para o profissional da beleza.

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Enviar a un amigo
  • Compartir en WhatsApp
Recebe-a totalmente grátis todas as semanas no teu correio eletrónico!

 

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.