Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

GH Gallery Hair nº 6 - Descarrega aqui o nº 6.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.

NOVOS CONSUMIDORES

As três razões que sustentam a nova beleza e os seus consumidores

O novo paradigma 'beauty' fala-nos de mais 'skincare' a maquilhagem, um aumento evidente das compras 'online', e a preferência e procura de marcas inclusivas e sustentáveis, tudo o qual irá mais além do fim da pandemia


21/07/2021

Os consumidores de todo o mundo mudaram os hábitos devido à crise sanitária. Assim, tiveram que se adaptar a usar máscara, deixaram de ir às lojas e centros de beleza e salões de cabeleireiro, porque estavam fechados, e acostumaram-se a trabalhar de casa.

Por isso, a sua perceção de beleza e hábitos de compra mudaram. E os novos modos e formas poderiam continuar vigentes durante muito tempo depois do fim da pandemia.

PowerReviews, editor de soluções digitais para melhorar a participação dos consumidores, inquiriram 10.646 compradores ativos de beleza em todo os Estados Unidos para dar luz sobre como mudaram os hábitos e preferências de compra do mercado e os seus utilizadores.

Mais tempo de ecrã, menos ocasiões para comprar fora de casa e uma vida social em espera durante vários meses, sem dúvida, trouxeram resultados e consequências.

Os hábitos de consumo viram-se transformados obrigando as marcas a reinventar-se para se adaptarem a estas novas formas de vida.

E a indústria da beleza deve abordar o novo paradigma.

Mas em que se sustenta o mesmo? Vejamos.

Menos maquilhagem, mais cuidado da pele

O relatório PowerReviews revelea que a maioria dos norte-americanos (56%) estão mais centrados no cuidado da pele agora que antes da pandemia. Uma situação que pode ser relacionada com o facto de que as pessoas estão a passar mais tempo em casa e dispõem de maior tempo para se dedicar mais a fundo a sua pele.

Simultaneamente, muitos consumidores estão a reduzir o uso de maquilhagem. Assim, a pesquisa encontrou que mais de metade (54%) indicam que usam menos maquilhagem antes do Covid, provavelmente porque não saem à rua e teletrabalham e usam máscara.

Os hábitos de consumo viram-se transformados obrigando as marcas a reinventar-se para se adaptarem a estas novas formas de vida.

Como resultado, a beleza natural surgiu como uma tendência chave, com as pessoas a voltar ao básico. Uma tendência que deveria continuar nos próximos meses, até se a pandemia termina.

O auge do comércio online

Houve um reponto nas compras de comércio eletrónico desde o início do Covid-19, num setor onde antes, a maioria preferia a loja física.

53% dos consumidores compram mais produtos de beleza em linha agora que antes da crise sanitária.

Este número é ainda maior entre os consumidores mais jovens, com 66% dos compradores da Gen Z e 58% dos millennials (GenY) dizem que estão a gastar mais em online em produtos de beleza agora que no tempo antes do coronavírus.

Além disso, os norte-americanos também estão a gastar muito mais na internet. Quase metade deles (49%) diz que gastam mais de 50 dólares por mês, em comparação com apenas 16% no estudo anterior em 2019.

A pesquisa encontrou que mais de metade (54%) indicam que usam menos maquilhagem antes do Covid, provavelmente porque não saem à rua e teletrabalham e usam máscara.

Além disso, enquanto que há dois anos 47% dos compradores de beleza em linha disseram que normalmente estavam a começar a sua viagem e experiência de compras de beleza na Amazon, na última pesquisa eram já quase metade (44%) que utilizavam o site web de uma cadeia de beleza para as suas compras, como a Sephora.com.

Mudança de prioridades, valores inclusivos e sustentáveis

O estudo da PowerReviews também confirmou que, além do preço, a marca e a qualidade continuam a ser importantes na hora de eleger produtos de beleza, os compradores de beleza procuram cada vez mais produtos e marcas que se alinhem com os seus valores.

Mais de três quartas partes (76%) dos compradores disseram que planeiam comprar produtos de beleza que se fabricam de forma sustentável. Compradores Gen Z (86%) e millennials (80%) são ainda mais propensos a comprar produtos de beleza sustentáveis.

A inclusão e a justiça racial também está a surgir como prioridades para os utilizadores norte-americanos. O estudo diz-nos que a metade (50%) dos consumidores planeiam procurar ativamente produtos de beleza feitos por marcas de propriedade negra. Este número é ainda maior entre a Geração Z (75%) e millenialls (58%).

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Enviar a un amigo
  • Compartir en WhatsApp
Recebe-a totalmente grátis todas as semanas no teu correio eletrónico!

 

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.