Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral

COSMÉTICOS NATURAIS

Como distinguir entre cosmética bio, eco e orgânica, naturalmente!

Nada melhor que recorrer aos especialistas como é o caso da firma de cosmética do mesmo nome ('Naturalmente'), que nos identifica a beleza bio, eco e orgânica e adverte-nos contra alguns ingredientes


08/06/2019

A sociedade atual procura por cosmética eco.

Já deves ter lido e escutado esta frase, uma e mil vezes. Mas, realmente sabes o que é o eco ou o que não é? Ainda mais, estás disposto a diferenciar os cosméticos eco dos bio ou dos orgânicos?

Marina Morán, responsável de produto da firma, Naturalmente, especialista em cosmética bio e consciente desta tendência e a sua influência na aquisição da beleza, aclara-nos como identificar um cosmético bio real. E não apenas isso, introduz os diferentes tipos de classificações em relação a cosmética natural com um objetivo claro: “Que tanto o profissional, cabeleireiros, esteticistas ou empresários, como o consumidor aprendam a perceber os tratamentos fraude, que existem, e o pior, que danifiquem a nossa pele e cabelo com substancias químicas sem ser conscientes do que estamos a fazer”.

Ogânica, bio e eco

Assim vejamos a cosmética ecológica, orgânica, bio… mas, que implica cada uma delas?

COSMÉTICA ECOLÓGICA.
É referente a cosméticos que têm na sua formulação ingredientes naturais. É importante destacar que estes podem ter sido manipulados por pesticidas/herbicidas devido a que a sua proveniência agrícola não está ligada a uma produção ecológica. Portanto, não contêm uma composição nem elaboração cem por cento natural já que muitos são processados em laboratórios. Na sua etiquetagem incluem selos ECO, BIO ou Vegano, os quais são feitos diretamente pelas mesmas marcas e “autocertificam” que o seu produto provém de uma ecologia sustentável.

COSMÉTICA ORGÂNICA.
É similar à cosmética natural mas na sua etiquetagem adicionam-se dados que certificam as características de composição do cosmético:

  • 90% mínimo de ingredientes agrícolas proveniente de agricultura ecológica.
  • Os ingredientes provenientes da agricultura fabricaram-se sem herbicidas nem fertilizantes artificiais (quantidade muito limitada de pesticidas permitidos).
  • Não têm corantes, conservantes ou produtos químicos artificiais ou sintéticos (Incluidos parabenos e sulfatos).
  • Proibida o seu teste em animais.

COSMÉTICA BIO.
Todos os seus tratamentos contêm no seu packaging um certificado oficial. “Em “Naturalmente” contam com o selo Qualita Reale”, quer destacar Marina Morán. “O que assegura que os produtos de beleza cumprem com todos os requisitos”. Ou seja, proibida composição e teste animal (cosmética vegana), a criação de desperdício durante o processo de fabricação minimiza-se, etc.

A sua formulação baseia-se em substâncias botânicas e aromas puros de plantas e flores, cultivadas em todo o mundo na agricultura biológica e biodinâmica de características exclusivas e qualidade única.

Os cosméticos formulam-se exclusivamente a partir de matérias primas derivadas dos cultivos, como os óleos essenciais (da agricultura orgânica, biodinâmica ou coleção de plantas em cultivo) e a proteína vegetal extrato (proteína de soja, gérmen de trigo e de seda, azeite, coco, milho, etc.).

A maioria dos óleos essenciais provêm diretamente dos lugares de origem: India, Itália, Madagáscar, Turquia, etc.

Não contém:

  • SLS e SLES (Laureth Sulpha de sódio).
  • Parabenos (conservantes químicos).
  • DEA, TEA, MEA (químicos espessantes).
  • Formaldeído e o formaldeído.
  • Adição (conservantes químicos).
  • Sintético, perfumes e fragrâncias (derivados do petróleo).
  • EDTA (contaminantes MAR).

Ingredientes proibidos

Então, que ingredientes devemos evitar num cosmético para este seja realmente natural.

Marina Morán detalha os principais ingredientes dos quais devemos fugir para a pele e cabelo e que deves ler atentamente. Estamos certos que alguns deles te surpreenderão. Trata-se de:

» Propylene glycol. Fração semitransparente produzida com óleo derivado do petróleo. Utiliza-se em milhares de cosméticos de todas as marcas pela sua viscosidade e estabilidade química, além do seu custo baixo.

» Paraffinum Liquidum. É cera petrolífera líquida, que também se chama óleo de vaselina, utiliza-se em grande escala para os cosméticos de cada género.

» Petrolatum. Petróleo tratado em refinaria, presente em cosméticos de alta gama garantindo elevados benefícios. Utilizado em cremes faciais e corporais, e até nos protetores labiais.

» Mineral Oil. Óleo derivado do petróleo. Encontra-se facilmente nos óleos essenciais profissionais de corpo e cabelo.

» Parabenos. Methyl, Butyl, Propyl e Ethyl Parabenos são conservantes petroquímicos omnipresentes em cosmética para aumentar a vida do produto. São usados apesar dos seus efeitos alergénicos e a sua relação com o cancro da mama.

» Imidiazolidinyl Urea. Conservante quelante utilizado nos cosméticos para o cabelo, cara, corpo e produto para crianças. Por causa da sua enorme difusão e utilização influiu de forma muito importante na contaminação dos aquíferos e do envenenamento do mar.

» Propano e Butano (GPL). Gás liquido de petróleo, presente nas lacas de spray (lakuose) e nas espumas (putose) para o cabelo.

» Keratina, Colagénio. São substâncias obtidas principalmente de unhas e gordura animal. Estas substâncias são combinadas com outros sintéticos nos cosméticos que prometem tratamentos de reconstrução do cabelo e tratamentos anti-idade para a pele.

» Sulfato de sódio lauryl e laureth. Tensioativo derivado do petróleo responsável do detergente com muita espuma. Causam alergias e irritações especialmente graves às pessoas expostas a um uso constante, como nos cabeleireiros. Encontram-se nas tintas e na descoloração.

» Ciclophentaxiloxane Ciclometicone Dimeticone (Silicone). Utilizado em cosméticos para o cabelo, cara e corpo. A sua textura oleosa permite-lhe ser publicitada como óleo (ver óleo de Argan e Ouro Líquido). São necessários 250 anos para que se decomponha. Encontram-se abundantemente nas máscaras capilares, em cosméticos de maquilhagem e nos milagrosos cremes efeito lifting.

» Methylchloroisothiazolinone e Methylisothiazolinone. É um conservante derivado do petróleo.

» Butylene Glycole. Subproduto e resíduo petrolífero particularmente nos cosméticos profissionais para o cabelo.

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Compartir en WhatsApp
Subscreve a newsletter da Beautymarket Informa.

 

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
SALÓN LOOK - Salão Internacional da Imagen e da Estética Integral
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.