Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
GH - Gallery Hair - A revista profissional  de uso e consulta em Salões de Cabeleireiro

ATUALIDADE

O futuro do bem-estar, seis tendências chave

Na Cimeira Mundial do Bem-estar, os especialistas que analisam e trabalham nas novas mudanças que transformam a beleza e a saúde por causa da pandemia, traçam um dos mapas mais completos de como vai ser a indústria


08/01/2021

A recente Cimeira Mundial do Bem-estar (de 8 a 11 de novembro) reuniu numa mesa de debate muitos e destacados especialistas desta área de negócio, e com eles os melhores jornalistas e prognosticadores (especialistas em bem-estar) para discutir como a pandemia está a sacudir este conceito, e o que predizem ser as grandes tendências de bem-estar para 2021.

Sem dúvida uma interessante e provocante discussão (organizada por Beth McGroarty, GWS, VP, investigação) com alguns dos temas cadentes que resumimos aqui.

O painel de especialistas integra: Sandra Ballentine, editora da revista W, Cecelia Girr, estratega senior de Blackslash, a unidade de inteligência cultural impulsionada por TBWA. Elaine Glusac, colunista de viagens, The New York Times, Claire McCormarck, Content+Thought Leadership, IndieBeauty Media Group/Beauty Independent. Sarah Miller, embaixadora da Marca de Luxo, Journal de Wall Street. E Jessica Smith, consultora independente de tendências de bem-estar e beleza; LS:N Global.

Com eles descobrimos as seis novas premissas a ter muito em conta na indústria que nos ocupa.

Seis tendências de Bem-estar para 2021

1) Uma nova convergência entre a saúde e o bem-estar.
Esta reunião debateu acerca de como a Covid-19 colocou em voga a importância dos focos de estilo de vida preventivo e como a sobrevivência futura do setor da beleza e o bem-estar dependerá de uma nova alienação entre este último, o bem-estar e a atenção médica. Como assinalou a jornalista Sandra Ballentine, a pandemia proporcionou provas dolorosas e incontrovertíveis de que "precisamos de afastar o nosso sistema de saúde beneficiar com a doença e orientá-lo de forma a preveni-la", prognosticando que veremos uma combinação de medicina funcional e convencional através das linhas comunitárias e económicas, com a telemedicina e o "tele bem-estar", tendo um papel muito mais importante a partir de já.

A editora de W, Cecelia Girr Girr prediz que se a atenção médica foi bastante estéril em relação ao wellness, e o "bem-estar converteu-se no miúdo espetacular lá do recreio", o futuro aponta a uma convergência sem precedentes, onde os modelos inovadores e novos que unem a sáude e o bem-estar simbioticamente vão converter-se "na estrela cultural global". Susteve que as novas simbioses vão outorgar a atenção médica as qualidades prazerosas e aspiracionais do bem-estar, enquanto que o bem-estar vai conseguir cada vez mais a credibilidade mostrada pela ciência da indústria médica, e os atores e marcas que apostam por isso (e já está a suceder) "vão ganhar ao grande".

'Profissionais de spa, nutricionistas e treinadores pessoais têm uma oportunidade real de melhorar a experiência no lar para os clientes, com aulas virtuais e conteúdo digital para manter a participação', afirma Sandra Balletine.

2) Fortalecimento do sistema imunológico.
A especialista Ballentine, prediz que o fortalecimento do sistema imunológico (e a construção de fortaleza física) será uma tendência importante de 2021 em relação ao bem-estar em todos os âmbitos, desde alimentos até suplementos, passando por aulas educativas. "Veremos tratamentos de imunidade mais personalizados, usando provas genéticas e biohacking para identificar que terapias imunitárias se adaptam melhor a cada sistema e situação do indivíduo". "Quando nos sentimos confortáveis com a carroçaria de novo", argumentou, "isso vai reverter em que existam mais tratamentos para melhorar a imunidade e a cura de energia, e haverá um maior foco na saúde intestinal e o nosso microbioma em relação à imunidade e função cerebral".

3) O bem-estar torna-se real sobre o sexo, dinheiro e morte.
O painel de especialistas desta considerada cimeira discutiu acerca de como estamos a passar de uma indústria do bem-estar centrada em "ver-se e sentir-se bem" a, como disse Girr, "um tabu cultural massivo e sísmico está a derrubar", com o bem-estar a ampliar radicalmente os seus limites a "pontos de dor culturais mais arriscados... Centrados em coisas realmente grandes", como o sexo, o dinheiro e a morte, questões que "têm um impacto muito maior na nossa saúde que as vanidades do bem-estar do dia-a-dia". Vamos ver de tudo, desde o auge de novas e mais saudáveis práticas no final da vida, como a preparação da morte, até obter dinheiro real com novos focos de terapia financeira/bem-estar.

Claire McCormack esteve de acordo, e discutiu as muitas formas em que o bem-estar sexual e a saúde reprodutiva das mulheres estalaram em 2021: com milhões de mulheres no mundo a sentirem-se deixadas para trás pelo sistema médico e a "sofrer em silêncio". Assinalou que as marcas de bem-estar sexual viram um aumento massivo nas vendas (300-400%) durante o encerramento. E mais além do prazer sexual, previu que o investimento nas formas alternativas de resolver as necessidades de saúde das mulheres aumentariam em 2021: sejam treinadores de solo pélvico, suplementos, premenopáusicas através de soluções pós-menopáusicas, ou mulheres a despedirem-se da pílula e à procura de formas alternativas de controlo da natalidade. O painel esteve de acordo: um novo bem-estar vai tomar o centro do cenário e, como disse Girr, será "uma das maiores oportunidades a nível mundial".

4) Natureza, natureza, natureza.
Todos os especialistas estiveram de acordo em que numa era de encerramento e distanciamento social (e com nova consciência de que a destruição do meio ambiente impulsionou a Covid-19) que se está a construir e a reforçar um profundo valor e defesa da natureza e o 'deserto' como cura.

A especialista em viagens, Eleaine Glusac explicou como vai ser a anteriormente citada, a tendência dominante nas viagens de bem-estar: "lamentavelmente, nas viagens, perdemos temporalmente a conexão com outras pessoas (uma das maravilhas das viagens). A conexão das pessoas está a ser substituída pela ligação com a natureza, que proporciona uma cura única e consolo numa pandemia". Assinalou que as viagens lentas e impulsionadas pelo ser humano (ciclismo, caminhar, remar...) estão a crescer, não só porque são experiências de bem-estar, como porque também são atividades naturais de distância social. Também argumentou que há uma pronunciada subida no interesse pelas viagens sustentáveis, e no novo conceito que leva tudo mais longe, as viagens regenerativas, que não é só reduzir a sua pegada de carbono, como deixar o lugar melhor que quanto o encontrou.

Sarah Miller, por sua parte, explicou que "mais pessoas agora despertaram permanentemente perante o fecho de que a forma em que nós como espécie humana interagimos com outras espécies (e invadimos o seu habitat natural) causaram a nossa própria doença". E esta consciência sem precedentes de como a sustentabilidade vincula-se com o bem-estar humano, prevê tudo, desde o aumento ainda mais potente da alimentação vegana e baseada em plantas até muitas mais iniciativas de reciclagem de carbono, plantação de árvores e poupança de recifes de coral.

5) Bem-estar no lar.
O grupo coincidiu em que uma tendência dramaticamente amplificada pelo Covid-19 está a trazer todo o tipo de bem-estar a nossos lares, desde os movimentos mais simples até a mais alta tecnologia. McCormack assinalou: "estamos a passar muito mais tempo nos nossos lares, pelo que as empresas procuram ajudar-nos a otimizar esse espaço… Especificamente como um refúgio de bem-estar" e aponta que se está a criar parcelas de "bem-estar no lar", como as dos novos purificadores de ar fresco e humidificadores, por exemplo. Miller, em paralelo, assinalou que o foco de "bem-estar no lar" pode ser muito simples, como encontrar maneiras de viver em apartamentos muito pequenos, com chave de qualidade do ar: dizer adeus à casa selada, com ar condicionado e com janelas abertas: eleger comer ao ar livre, e sentir ao ar refrescante, sendo estes "prazeres e comportamentos muito básicos, transformando o que é o bem-estar".

Jessica Smith argumentou que a arquitetura do bem-estar vai aumentar e evoluir, com um trabalho importante que se está a fazer sobre como o meio ambiente construído e as nossas comunidades afetam a nossa saúde ao longo prazo, citando a investigação pioneira de Centric Lab, um laboratório de neurociência que examina a resposta biológica completa que temos um ambiente particular. Os quais investigam e descobrem que as comunidades que experimentam altos níveis de stress ambientar e psicossocial sofrem desigualdade biológica, e é este tipo de investigação a que poderia proporcionar um roteiro para que os desenvolvedores de casas reimaginam lares, lugares de trabalho e ruas. Smith também prevê que veremos um extraordinário estalido de inovação tecnológica em torno de lares higiénicos e que lutam contra patógenos, para criar "propriedades à prova de pandemias" que utilizam tecnologia como "o purificador de armários Carlo Ratti que elimina os microorganismos, bactérias e vírus da roupa".

6) Beleza: desde produtos antimicrobianas até beleza no lar.
Smith também argumentou que se bem a beleza natural/limpa foi a supertendência nestes últimos anos, agora os produtos que possam reduzir os temores em torno da higiene vão crescer, com novas formulações inovadoras de beleza antimicrobiana e antibacteriana (e processos de aplicação e frascos seguros e sem contacto) que não só fazem que a beleza seja segura, como que também melhoram as células da pele e abordam as imperfeições.

Pela sua parte, Sandra Ballentine argumentou que a tendência de beleza no lar e a autoaplicação vai alcançar novas quotas em 2021, com pessoas convencidas por todo o tipo de tecnologias de beleza e tratamentos que podem executar em casa.

E assinalou que a tendência, por suposto, estende-se a todo o tipo de bem-estar no lar. "Estas experiências não podem substituir um ser humano ou tocar, mas creio que todo o tipo de treino de bem-estar e beleza entregue no lar será cada vez mais importante. Profissionais de spa, nutricionistas e treinadores pessoais têm uma oportunidade real de melhorar a experiência no lar para os clientes, com classes virtuais e conteúdo digital para manter a participação".

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Enviar a un amigo
  • Compartir en WhatsApp
Subscreve a newsletter da Beautymarket Informa.

 

Ganho de massa e queimo de gordura
Ganho de massa e queimo de gordura
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Ganho de massa e queimo de gordura