Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

MOSER - CHROM2STYLE BLENDING EDITION
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
BM Estética > Estética > Microbioma

CIÊNCIA

O que é o microbioma da pele

O microbioma ou microbiota da pele acumula anúncios, campanhas e instruções de utilização de cosméticos e cuidados de higiene pessoal. É o termo de moda, tão na moda como vital para a saúde e o equilíbrio do maior órgão corporal


13/08/2020

microbioma de la piel

A pele não deixa de nos surpreender. E é agora que parece visibilizar-se ainda mais com um termo de moda, o microbioma da pele, que se inclui em múltiplas campanhas de cosmética, higiene e beleza e que se focaliza como o núcleo de estudo de destacadas investigações científicas e laboratórios.

Com uma superfície aproximadamente de 1,8 metros quadrados, a pele é o maior órgão do nosso corpo. A barreira que nos defende e protege e a qual a beleza dedica todos os seus esforços e conhecimento.

As doenças da pele ocorrem quando se dá um aumento de uma espécie bacteriana em detrimento das outras produzindo desequilíbrio na microbiota.

Existe, efetivamente, um termo recente em relação à sua propagação na pele e que hoje centra a atenção dos profissionais. Falamos do microbioma, cada vez mais presente no manual de utilização de cosméticos e tratamentos.

O microbioma está intimamente ligado à pele. E hoje sabemos também que a pele é muito mais que uma grande camada composta pelas nossas próprias células. A pele é um complexo ecossistema no qual convivem uma infinidade de microorganismos.

Assim, calcula-se que no nosso corpo há mais de 100.000 bilhões de bactérias, o que representa aproximadamente 1,5 kg do nosso peso. O termo usado para descrever este conjunto de microorganismos é microbiota. A maioria destas bactérias concentram-se no nosso intestino e na nossa pele.

microbioma de la piel

Microbioma é o mesmo que a Microbiota?

A microbiota não deve ser confundida com o microbioma que é o conjunto de genes dos microorganismos que habitam a nossa pele mas também outras zonas.

Assim, o microbioma total é constituído pela microbiota do trato gastrointestinal, nasofaringe, pele, vagina, etc., já que existem microorganismos em todos os órgãos e sistemas do corpo humano.

Portanto, falaremos a partir daqui do microbioma ou microbiota da pele.

O que sabemos hoje da microbiota da pele?

Como comentámos, são numerosos os estudos que se preocupam há algum tempo, e muito, sobre a origem e composição do microbioma.

Um dos mais destacados é o Human Microbiome Project, desenvolvido de 2017 a 2019, coordenado por numerosas universidades, e do qual derivaram outros, igualmente relevantes, acerca da microbiota da pele.

Fazendo referência ao mesmo, Beauty Cluster Barcelona, uma das instituições mais relevantes em torno da beleza e a estética profissional em Espanha, a qual estuda e promova diferentes campos e vertentes, incluído também o marketing e a empresa, não só a ciência, resume o nosso conhecimento atual da microbiota da pele, destacado 8 das suas características principais.

A humanidade evoluiu muito em relação a saúde e a higiene tem um papel importantíssimo nessa evolução. E foi tanta essa evolução que talvez agora, por excesso, estejamos a coloca.la em perigo.

1) É um grande superorganismo composto por elementos microbianos em constante comunicação com a pele.
2) Cada pessoa tem uma microbiota diferente, esta queda determinada do nosso nascimento e varia em função da idade, o estilo de vida e o ambiente.
3) A microbiota varia em função de cada zona da nossa pele adaptando-se às suas características e função.
4) Afeta o nosso corpo, a nossa resposta imune e até ao nosso comportamento.
5) É benéfica na nossa saúde já que executa funções que o nosso genoma não desenvolveu e ajuda-nos conta a invasão de patogénicos.
6) Comparada com a microbiota do intestino é muito mais variada (em espécies) e variável no tempo (mais adaptativa). 7) Está em perfeito equilíbrio e comunicação com a nossa camada córnea.
8) A chave para uma pele saudável e resistente à doença está na diversidade e variabilidade de bactérias que compõem a microbiota. O equilíbrio entre as diferentes espécies é fundamental.

microbioma de la piel

A microbiota, em adaptação contínua

Todo este ecossistema composto por pele e microbiota está em adaptação contínua e ainda varia em função de cada zona da pele para se adaptar às suas características.

O que ocorre, então, quando uma dessas espécies que compõem a microbiota se reproduz em detrimento de outra?

Pois se esse ecossistema não é capaz de se reequilibrar, desse desequilíbrio surgem os problemas como dermatite atópica, psoríase, feridas que não curam, má cicatrização e outras doenças ou mau-estares na pele.

O microbioma está intimamente ligado à pele. E hoje sabemos também que a pele é muito mais que uma grande camada composta pelas nossas próprias células. A pele é um complexo ecossistema no qual convivem uma infinidade de microorganismos.

Existem efetivamente estudos que relacionam a qualidade da microbiota com a velocidade de cura das feridas, onde faz alusão à relação entre os linfócitos e umas bactérias específicas, os Staphylococcus epidermis. Segundo as conclusões obtidas, ainda, aponta-se a que a microbiota e as bactérias patogénicas induzem diferentes mecanismos de ativação do sistema imunitário, algo verdadeiramente vital.

Por isso, a biodiversidade na pele é necessária. E impõe-se mantê-la.
As doenças da pele ocorrem quando se dá um aumento de uma espécie bacteriana em detrimento das outras produzindo desequilíbrio na microbiota. Identificar estes desequilíbrios e saber tratá-los pode ser uma nova chave para paliar as ditas alterações.

Temos de ter em conta que os desequilíbrios da microbiota devem-se tanto a fatores externos, poluição ou radiações UVA, por exemplo, como a internos, estilo de vida, dieta, stress...

Daí os laboratórios procuram a galénica que proporcione o equilíbrio necessário da macrobiota, principal aliada da saúde e beleza da pele.

microbioma de la piel

Como cuidar do microbioma da pele

Dito o qual é simples concluir que na beleza e saúde da pele é obrigatório evitar qualquer tipo de agressão que altere o seu equilíbrio e descompense essa fauna de microorganismos, vírus e bactérias que nos protege.

Sim, necessitamos de todos eles na nossa pele, mas precisamos na sua justa medida e convivência, sem que se desajustem às suas proporções harmónicas.

A microbiota não deve ser confundida com o microbioma que é o conjunto de genes dos microorganismos que habitam a nossa pele mas também outras zonas.

Respeitar o pH, evitar produtos agressivos, parabenos, óleos minerais, silicones, sulfatos artificiais e optar por componentes naturais muito menos agressivos é o ideal para não quebrar esse equilíbrio e manter a nossa fronteira, a pele, protegida, o que por sua vez nos protegerá.

A humanidade evoluiu muito em relação a saúde e a higiene tem um papel importantíssimo nessa evolução. E foi tanta essa evolução que talvez agora, por excesso, estejamos a coloca.la em perigo.

Os nossos hábitos de higiene e cuidado diários não fazem o necessário uso de produtos agressivos. Atacar a pele mais do que o devido pode acabar com a sua flora. E isto é o que podem terminar com a sua função originária e para que fosse concebida e está feita, a da obrigatória e necessária barreira de defesa e proteção.

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Enviar a un amigo
  • Compartir en WhatsApp
Subscreve a newsletter da Beautymarket Informa.

 

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
MOSER - CHROM2STYLE BLENDING EDITION
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
MOSER - CHROM2STYLE BLENDING EDITION