Política de Cookies: Usamos cookies próprios e de terceiros para mostrar publicidade relacionada às suas preferências de acordo com seus hábitos de navegação. Se você continuar navegando, consideraremos que você aceita seu uso. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações aqui. 

Aceitar

Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.
Grátis! Agora! Toda a atualidade no teu correio eletrónico de 15 em 15 dias. Subscreve.

ATIVOS

Óleo essencial de cipreste, purifica-te!

Uma árvore lendária coroada tanto pelas suas características próprias como pelo seu fruto, pela legenda. O cipreste tornou-se imprescindível entre os mais populares óleos essenciais para a saúde e beleza


31/03/2021

Num tempo de profunda transformação não isente de uma certa preocupação no cuidado do óleo essencial e a aromaterapia recobram redobrado protagonismo, sempre o tiveram, na cabine de beleza.

No fio da nossa reportagem, " Óleos essenciais, fiéis aliados para curas de beleza", desvendamos com detalhe e atenção algumas das mais importantes e reconhecidas propriedades dos mais conhecidos e usados óleos essenciais, enumerados no mesmo.

É o caso do óleo essencial de cipreste.

O óleo de cipreste obtém-se dos ramos e folhas frescas da árvore, sendo de um cheiro amadeirado agradável doce e balsâmico, líquido de cor amarela, ainda que às vezes é incolor e é solúvel em álcool absoluto.

Assim, e já de entrada, podemos avançar que o óleo de cipreste é purificador, sedante e vigorizante. Três propriedades procuradas por homens e mulheres.

Acalma o sistema nervoso e alivia os sintomas da menopausa.

Origem do cipreste

O cipreste é uma árvore de pertencente à família 'cupresáceas', das quais a madeira e folhas são aromáticas. Tem uma vida de mais de 300 anos, mede entre 25 e 30 metros, de folhas verde escuro que crescem forma de ramilhete e frutos em forma de pinha (casca hexagonal) dentro dos quais se encontram as sementes germinativas e duradouras.

De características semelhantes ao cedro ou ao pinheiro, muito empregado para embelezar lugares públicos, parques ou santuários, igrejas ou templos. Pela sua altura é utilizado como cortaventos e pela humidade que possui a cortiça, elege-se como corta-fogo para proteger hectares de campos e cultivos.

A madeira de cipreste é muito utilizada no fabrico de móveis ou artesanato. Além disso foi identificado como o árvore das almas e representa a melancolia.

Das suas folhas e ramos extrai-se o óleo de cipreste, relaxante e elegante, o qual possui propriedades antiespasmódicas.

O que é o óleo de cipreste?

Os óleos essenciais são subprodutos que provêm das plantas. Elaboram-se como proteção contra agentes do meio ambiente, produzindo substâncias com propriedades antibacterianas, antivírus e anti fungos, caso sem ir mais longe, do óleo de cipreste, o qual é muito empregado tanto na saúde como na cosmética (masculina e feminina).

Curiosidades em torno do cipreste

O cipreste era uma árvore que foi muito cultivado na época greco-romana, diz-se que pelas suas características e naturalidade. De folha verde e forma pontiaguda, aponta até o céu guiando, contam, as almas até ele. Representava a hospitalidade assim como a imortalidade.

Os cretenses e fenícios utilizavam a madeira para elaborar barcos, enquanto que os romanos construíam sarcófagos e com os ramos e folhas envolviam os corpos para garantir a sua imortalidade.

Contam que a cruz onde Jesus Cristo foi crucificado foi elaborada com madeira da árvore cipreste, assim como a Arca de Noé.

A sábia que contém esta árvore, a qual lhe proporciona a vida perenne, é tão amarga que mantém as bactérias e vermes longe.

Com o passar dos anos, estas propriedades foram-se especializando, já que os chineses empregavam as suas pinhas ou conos como calmante para dores dentais e os gregos como relaxante para despejar os sentidos e a mente, graças ao seu cheiro reconfortante.

Que outros nomes recebe o óleo de cipreste?

Cientificamente o cipreste conhece-se o nome de Cupressus sempervivens, vocábulo latino 'cyprus'. Chipre que é a cidade de onde provém, onde também denomina-se 'semprevivens' que significa 'sempre verde'.

Também é conhecido como cipreste comum ou cipreste mediterrâneo, fazendo alusão ao lugar da sua proveniência. Em algumas partes dos Estados Unidos, é conhecido como 'cipreste italiano', devido a que é muito comum em Itália e transportou-se até lá, ainda não é original da mesma.

Características do óleo de cipreste

O óleo de cipreste obtém-se dos ramos e folhas frescas da árvore, sendo de um cheiro amadeirado agradável doce e balsâmica, líquido de cor amarelo, ainda que às vezes é incolor e é solúvel em álcool absoluto.

Estrutura e composição química do óleo de cipreste. O óleo de cipreste possui cedrol 8%, limonemo de 2,5-5%, terpinoleno 2,4-6%, alfa-pineno 45% (brancodilatador), pineno 60,5%, linalol, monoterpenos, borneol, monoterpenoles, citronelol, myrcene e timol. O óleo essencial é composto numa maior parte por alfa-pineno, que é um componente que se pode empregar em humanos.

Enquanto a sua estrutura química principal contém Alpha pinene; anti-inflamatório e que melhora a memória, descongestionante e broncodilatador; Cedrol: sedante; Limoneno: cítrico e ajuda com a acidez. Myrcene: analgésico, anti-inflamatório e calmante suave.

Como se extrai o óleo de cipreste?

O óleo de cipreste extrai-se por meio de processo de destilação das folhas e dos cones (gálbulos).

O processo de destilação faz-se em duas etapas: a primeira dura aproximadamente duas horas, ao passar oito horas, volta-se a destilar por mais 3 horas. É melhor realizá-lo entre os meses de novembro a março, que é o período de maior abundância e frescura da árvore. Apresenta um rendimento de 0.5-1%.

Benefícios e propriedades do óleo de cipreste

Pela sua alta composição em pineno, o óleo de cipreste possui grandes propriedades favoráveis para o sistema respiratório e circulatório, estimulante pulmonar e do rim, ajudando a desintoxicar o organismo. Além disso, dado o seu teor em taninos, é um grande adstringente, antidiarreico, antissético, antiespasmódico, desodorizante, diurético, sudorífero e emprega-se como tónico sedante.

Fornece benefícios em relação ao alívio de dores musculares produto de artrose e reumatismo; fortalece os tecidos muscular, pele e gengivas; colabora com a limpeza de feridas graças às suas propriedades antisséticas; promove a digestão e evita os gases, reduz a inflamação e ajuda a eliminar toxinas, evitando retenção de líquidos; previne o sangue excessivo e melhora o funcionamento do fígado e o protege de qualquer afeição; pela sua ação relaxante e calmante, ajuda a relaxar o sistema nervoso.

O óleo de cipreste ajuda a regenerar a pele e estimular o processo circulatório e com isto a produção natural de gordura sebácea, hidrata a pele e atua como antissético eliminando as bactérias que causam doenças.

Óleo de cipreste para as varizes.
As varizes produzem-se devido à acumulação de sangue e o inchaço das veias. Graças às suas propriedades anti-inflamatórias, o óleo de cipreste pode ser empregado para as tratar, porque melhorara a circulação, contraindo a inflamação das veias, reduzindo em grande proporção o inchaço. Pode ser aplicado em esfregas suaves com um algodão ajuda que a pele absorva as propriedades, aliviando o mal-estar e a inflamação.

Óleo de cipreste para as hemorroidas.
Em relação às hemorroidas, o óleo de cipreste resulta de grande ajuda porque alivia a comichão e a dor causada por esta afeição, graças ao seu efeito antissético e anti-inflamatório. Para conseguir estes resultados usa-se como infusão no banho.

Óleo de cipreste para o cabelo.
O cabelo está exposto a agentes ambientais que afetam a sua aparência, com o uso do óleo de cipreste contribui para mantê-lo livre de micróbios, assim como a eliminar o excesso de gordura. Ajuda a escurecer os grisalhos, assim como a estimular o crescimento do cabelo e evitar a queda.

Óleo de cipreste para a celulite.
A celulite é uma infeção por bactérias produzida na pele, o tecido celular inflama-se e retém líquido, esta tende a apresentar-se nas zonas das coxas, abdómen e glúteos.
O óleo de cipreste por ser diurético, ajuda a eliminar o excesso de sal e água que produz a retenção de líquidos, estimulando a circulação o que influencia no aumento de fluxo sanguíneo, reduzindo o seu aparecimento. Pode-se empregar por via tópica, aplicando massagens nas zonas afetadas.

Óleo de cipreste para a pele.
Os benefícios que o óleo de cipreste tem para a pele atuam como estimulante da circulação, assim como previnem a retenção de líquidos (formação de celulite). Melhora o tom de pele (aclarado de manchas), assim como o excesso de gordura na zona T e couro cabeludo.
Quando a pele está escamada ou seca, quebra a perda de colagénio evitando que perca a flexibilidade.

Óleo de cipreste para o acne.
O acne é considerado uma doença infeciosa e inflamatória da pele, produzida pelo excesso de gordura produzidas pelas glândulas sebáceas, gerando bactérias e infeções.

O uso do óleo de cipreste melhora consideravelmente o seu aparecimento, ajuda a regenerar a pele e estimular o processo circulatório e com isto a produção natural de gordura sebácea, hidrata a pele e atua como antissético eliminando as bactérias que causam doenças. Além disso das suas propriedades cicatrizantes acelera o processo de recuperação de danos na epiderme.

Propriedades do óleo essencial de cipreste segundo parte do corpo

  • Cabeça: laringite, afonia, hemorragia nasal, gengivas sangrentas.
  • Sistema digestivo: diarreia.
  • Menstruação: dolorosa, hemorragias, perdas excessivas, menopausa, problemas com ovários, regula o ciclo menstrual.
  • Sistema de excreção: incontinência, sudoração excessiva (tanta quantidade como cheiro).
  • Sistema respiratório: antiespasmódico sobre brônquios, asma...
  • Sistema circulatório: hemorroidas, varizes.
  • Pele: gorduras ou hiperhidratadas, edema, ataques biliares, repelente de insetos.

Alguns exemplos de uso externo do óleo de cipreste

Em massagem: 3% de óleo essencial de cipreste num óleo portador como poderia ser o óleo portador de amêndoas doces.
No banho: 6 gotas numa banheira.
Em inalação: 4 goras em vaporização.
O óleo essencial de cipreste não apresenta toxicidade mas não se deve usar durante os 3 ou 4 primeiro meses de gravidez.

 
Mais informação

  • Partilhe este artigo
  • Enviar a un amigo
  • Compartir en WhatsApp
Recebe-a totalmente grátis todas as semanas no teu correio eletrónico!

 

MOSER - CHROM2STYLE BLENDING EDITION
MOSER - CHROM2STYLE BLENDING EDITION
Ganho de massa e queimo de gordura
Ganho de massa e queimo de gordura